X-Men – Fênix Negra: o medo de ousar imperou (novamente)?

A franquia X-Men foi a responsável pelo sucesso que os filmes de super-heróis tem atualmente, tudo se iniciando lá no ano 2000. Naquela época a gente não fazia ideia do quanto Hugh Jackman iria se eternizar como Wolverine e muito mesmo imaginar que qualquer outro filme do gênero iria bater recordes de bilheteria.

Mas infelizmente a franquia sofreu e muito com altos e baixos, e rolou até mesmo um reboot (que não foi reboot, mas você entenderam né?). Com a então anunciada compra da FOX pela Disney, as coisas ficaram mais complicadas ainda para os filmes que estavam em produção: Fênix Negra e Novos Mutantes, este último inclusive acredito que deve sofrer (ainda mais) com a repercussão de Fênix Negra.

A saga da Fênix é uma das mais cultuadas dentro das HQs e quando foi adaptada pela primeira vez, na trilogia original, não causou bom impacto. Vale lembrar que a Força Fênix é uma das entidades mais poderosas dentro do universo Marvel (muito mais do que, por exemplo, Thanos que está no UCM). Sendo assim, fazer uma adaptação com esta personagem pode ser muito perigoso porque isso impacta não somente no nível de poder descomunal que ela exige, mas também na qualidade dos efeitos visuais que serão usados (pois isso depende de budget e não sai barato colocar na tela TUDO o que ela pode fazer).

Um dos principais erros da franquia X-Men foi o de não ousar: ora por não usarem os uniformes originais (com medo da zoação?), ora por diminuírem drasticamente os poderes de personagens e por aí vai.

Por ser o último filme da franquia dentro da FOX, era a chance perfeita para que quebrassem esse ciclo e entregassem algo realmente memorável e fechar o arco. Mas o que acontece infelizmente é que eles continuaram pecando exatamente nas mesmas coisas.

O que vemos em tela é drama. Muito drama. Drama a cada minuto. E tudo bem, é uma história densa que precisa de drama, mas… É A FUCKING FÊNIX (NEGRA)! Me dá ação! Me dá poder! Me faz ficar sem fôlego! E nem adianta dizer que não dá pra faze tudo isso e misturar drama, porque Logan está aí pra provar que é possível sim.

Sai da sala do cinema me perguntando: onde estava a Fênix? E a Fênix Negra? Porquê pra ter uma Fênix Negra tem que ter uma Fênix, certo? O roteiro fica apenas flertando em mostrar que essa entidade é algo realmente poderoso, mas não entrega nada mais do que a gente vê nos trailers! A PIOR coisa que ela faz durante o filme todo tá nos trailers.

Falta algo grandioso no filme, algo que te faça perceber realmente o quanto aquela entidade é poderosa e capaz de destruir mundos. Não há um clímax que te faça pular da cadeira de emoção. Estamos há 19 anos acompanhando isso e eu queria ter saído do cinema com pelo menos uma lágrima de emoção ao dizer adeus.

Fênix Negra poderia se tornar uma das referências da saga, mas acaba sendo apenas um filme mediano, que diverte um pouco mais do que Apocalipse e O Confronto Final.

Agora preciso fazer comentários com certos spoilers do filme, então aconselho que você leia somente depois de assistir e deixa um comentário aqui depois dizendo se concorda:

  • O que dizer daquela foto da Mística na sua forma original no escritório do Hank? Sério? “Oi Mística, para aí pra fazer uma fotinha sua.
  • A Fênix voando no céu no final: tá, agora ela virou a protetora da Terra? Não precisava disso, a gente sabe que ela está viva.
  • E o que fizeram com o Mercúrio? Tiraram o melhor personagem da história! Diminuíram tanto o poder da Força Fênix assim, que o Mercúrio seria um perigo grande demais pra ela?

Nerd: Carlos AVE César

EXAGERADO! Jogado aos seu pés, eu sou MESMO EXAGERADO! Filho único, egoísta, mimado e mal-humorado. Produtor de Eventos, Engenheiro de QA e butequeiro! Buscando CONHECIMENTO, com cachorro-quente e guaraná. Também sou a personificação da Vingança! Twitter: @ONovoNerd Facebook: http://www.facebook.com/carloscesarcarvalho

Share This Post On