Merlí e a Vaca – Saindo da Zona de Conforto

As coisas andam mal, aquela coisa terrível aconteceu e a vaca foi pro brejo? Calma. Segundo o professor de filosofia Merlí, do seriado homônimo da Netflix, e um conto tradicional hinduísta, isso pode ser uma oportunidade extraordinária para recomeçar.

Tá, mas vamos por partes. O que/quem é Merlí? É uma série catalã com um grande espírito de Dr. House, o professor Merlí é uma pessoa difícil de lidar, mas que, ao contrário do médico, é surpreendentemente querido por (quase) todos (na maior parte do tempo!). A série tem três temporadas disponíveis na Netflix, e já está concluída. Além de mostrar o dia-a-dia de Merlí e suas aulas, a série também gira em torno da vida e dos conflitos de seus alunos – inclusive de seu filho, Bruno, que é um deles -, colegas de trabalho, amigos e familiares. Para quem curte diversos plots, Merlí é uma excelente escolha para acompanhar a história de diversos personagens e conhecer a fundo seus dilemas e a relação de cada um com o professor, e uns com os outros.

Pois bem: durante uma de suas aulas excepcionais, Merlí reúne seus alunos para contar-lhes a história de um mestre, seu discípulo, uma pobre família e sua vaquinha. E é essa história que venho contar para vocês hoje:

Conte de la vaca from Toni on Vimeo.

 A Parábola do Mestre e da Vaca

 

Um sábio mestre e seu discípulo andavam pelo interior da China há muitos dias e procuravam um lugar para descansar durante a noite. Avistaram, então, um casebre no alto de uma colina e resolveram pedir abrigo àquela noite. Ao chegarem no casebre, foram recebidos pelo dono, um senhor maltrapilho e cansado. Ele os convidou a entrar e apresentou sua esposa e seus três filhos. Durante o jantar, o discípulo percebeu que a comida era escassa até mesmo para somente os quatro membros da família e ficou penalizado com a situação. Olhando para aqueles rostos cansados e subnutridos, perguntou ao dono como eles se sustentavam.

 

O senhor respondeu – “Está vendo àquela vaca lá fora? Dela tiramos o leite que consumimos e fazemos queijo. O pouco de leite que sobra, trocamos por outras mercadorias na cidade. Ela é nossa fonte de renda e de vida. Conseguimos viver com o que ela nos fornece” – O discípulo olhou para o mestre que jantava de cabeça baixa e terminou de jantar em silêncio. Pela manhã, o mestre e seu discípulo levantaram antes que a família acordasse e preparavam-se para ir embora quando o discípulo disse – “Mestre, como podemos ajudar essa pobre família a sair dessa situação de miséria?” – O mestre então falou – “Quer ajudar essa família? Pegue a vaca deles e empurre precipício abaixo” – O discípulo espantado falou – “Mas a vaca é a única fonte de renda da família, se a matarmos eles ficarão mais miseráveis e morrerão de fome!” – O mestre calmamente repetiu a ordem – “Pegue a vaca e empurre-a para o precipício!”. O discípulo indignado seguiu as ordens do mestre e jogou a vaca precipício abaixo, e ela morreu.

 

Alguns anos mais tarde, o discípulo ainda sentia remorso pelo que havia feito e decidiu abandonar seu mestre e visitar àquela família. Voltando a região, avistou de longe a colina onde ficava o casebre, e olhou espantado para uma bela casa que havia em seu lugar. Ele pensou – “De certo, após a morte da vaca, ficaram tão pobres e desesperados que tiveram que vender a propriedade para alguém mais rico” -Aproximou-se da casa e, entrando pelo portão, viu um criado e lhe perguntou – “Você sabe para onde foi à família que vivia no casebre que havia aqui antigamente?” – O criado respondeu – “Sim, claro! Eles ainda moram aqui, estão ali nos jardins” – e apontou para a frente da casa. O discípulo caminhou na direção da casa e pode ver um senhor altivo, brincando com três jovens bem vestidos, e junto uma linda mulher. A família que estava ali não lembrava em nada os miseráveis que conhecera tempos atrás.

 

Quando o senhor avistou o discípulo, reconheceu-o de imediato e o convidou para entrar em sua casa. O discípulo quis saber como tudo havia mudado tanto desde a última vez que os viu. O senhor então explicou – “Depois daquela noite que vocês estiveram aqui, nossa vaquinha caiu no precipício e morreu… Como não tínhamos mais nossa fonte de renda e sustento, fomos obrigados a procurar outras formas de sobreviver. Descobrimos muitas outras formas de ganhar dinheiro e desenvolvemos habilidades que nem sabíamos que éramos capazes de fazer” – O discípulo não podia acreditar no que estava ouvindo – Ele continuou – “Perder aquela vaquinha foi terrível, mas aprendemos a não sermos acomodados e conformados com a situação que estávamos. Às vezes precisamos perder para ganhar mais adiante” – Só então o discípulo entendeu a profundidade do que o seu ex-mestre tinha percebido.

 

Procure em sua vida se não há uma vaquinha para empurrar no precipício ou se alguma já caiu e você não percebeu que foi algo bom. Perder um emprego, acabar um relacionamento e outras tantas outras coisas traumáticas são como marcos em nossas vidas, servem para mostrar que você passou por ali e sobreviveu, ficou melhor e mais forte. Se sua vida mudou por uma circunstância dessas, pense! Mesmo que pareça ruim agora, tudo poderá te levar a um caminho melhor, você só precisa perceber isso.

Pesado, né? Essa pega bem nos feelings. Aposto que agora você está pensando quem foram/são as vaquinhas da sua vida, ou se você é ou já foi a vaquinha na vida de alguém. Podemos resumir a lição de moral com o clichê “há males que vem para o bem”, e refletir se não precisamos tomar coragem para empurrar algumas vaquinhas precipício abaixo… Sejam essas vaquinhas medos, procrastinações, acomodações, pessoas… Temos que sair de nossa zona de conforto. Temos que descobrir nossos próprios talentos, possibilidades, habilidades. É assustador no começo, mas posso garantir a vocês, por experiência própria, que todo o crescimento da experiência compensa os momentos de desespero iniciais 😉

O seriado é repleto de reflexões como essa – como não poderia deixar de ser, já que a proposta é falar sobre filosofia e aplica-la à vida dos personagens e, por que não, a dos expectadores. Se você, assim como eu, já devorou as três temporadas e gostaria de mais um pouco de Merlí para refletir, fica aí a dica:

Esses dias, passando pela Saraiva, encontrei esse livro: A Filosofia de Merlí, da Faro Editorial. Com uma proposta interativa, o livro pretende expandir o universo da série e fazer com que você continue refletindo, pensando, aprendendo, questionando as grandes questões levantadas por Merlí e grandes filósofos. Para quem sente saudade da série, tá aí a oportunidade de levar o professor Merlí com você durante suas “viagens filosóficas”! Quem sabe futuramente não role uma resenha do livro por aqui?! 😉

merli_vaca_livro

Nerd: Evelyn Trippo

I just have a lot of feelings, e urgência em expressá-los. Aspirante à escritora e estudante deslumbrada de Letras - Tradução. Pára-raio de nerds, exploradora de prateleiras em sebos e uma orgulhosa crazy pet lady.

Share This Post On