Mal Nosso surpreende pelo o roteiro e ousadia

Se alguma pessoa me falasse a respeito do filme “Mal Nosso“, me contanto todos os detalhes, trama, fotografia e histÓria com seu desfecho, realmente seria difícil de acreditar que essa obra faz parte do gênero terror brasileiro.

A obra do diretor Samuel Galli vem para renovar o gênero no Brasil e é até suspeito, pois esse foi o filme de estreia dele. Sem vícios e sem medos ele simplesmente escreveu e filmou o que achava que tinha que ser feito.

Ao assistir Mal Nosso, percebemos muito elementos de outros filmes de terror e suspense estrangeiros, como Sexto Sentido e O Exorcista, mas dá pra sentir nas entrelinhas que tudo foi pensando por uma pessoa que é muito fã de terror. Não espere uma cópia de cenas clássicas, mas sim uma releitura e misturas de histórias que dão certo.

mal_nocco_filme_terror

Podemos dividir o filme em duas partes: a primeira ser um conto chamado “O Aniversário”, muito bem escrito e cheio de mistérios, ele nos envolve e desperta o terror humano, sem usar nada sobrenatural. Simplesmente esfrega na nossa cara a maldade humana com alguns enigmas que terminam em choque, deixando muitas perguntas.

Após a introdução do que seria esse “conto”, com um ar pesado e uma sensação estranha deixada por todos no cinema, temos a segunda parte do filme. Nesse momento finalmente nos aprofundamos nos personagens. Agora sim, temos a introdução do sobrenatural levando a algo maior, um propósito de vida que foi dado ao protagonista que começa a fazer sentindo, mesmo que seja uma interpretação confusa no começo, começamos a ter mais simpatia pela história, trazendo de volta a pequena luz que foi apagada no início do filme.

O grande momento final, quando tudo é revelado, é de deixar Night Shyamalan (famoso por filmes como Sinais, A Vila e Sexto Sentido) orgulhoso ou com inveja. Eu teria muita inveja, afinal podemos afirmar que esse filme foi muito além de Sexto Sentido, misturando muitas coisas e encerrando bem uma história que trás um desfecho que surpreende a todos.

Samuel Galli teve uma ideia genial na construção do roteiro em duas partes, criando um clima muito difícil de se conseguir hoje do público exigente, onde  parece que tudo já foi criado e muitas vezes a culpa é de um orçamento ruim (coisa que é sempre uma boa desculpa no cinema nacional). Ele mostrou que um roteiro inovador, com poucos efeitos, pode sim agradar e surpreender muito.

Mal Nosso estreia dia  14 de março em todas as rede de cinema.

Nerd: Richard Brochini

Richard Brochini, 31 anos, trabalha há 13 anos com desenvolvimento de projetos para TI. Cientista maluco, dronemaker e gamer :D Para entrar em contato: http://richard.brochini.com/

Share This Post On