Homem-Aranha: Longe de Casa é o mais divertido desde Homem-Aranha 2

Como raios um filme com o MYSTERIO como vilão principal pode ser bom?

Isso foi o que eu ficava me perguntando desde quando fiquei sabendo que este seria o personagem usado na continuação do Home-Aranha de Tom Holland. Tudo bem que escolheram o Jake Gyllenhaal para o papel, mas… é o Mystério! Aquele que sempre apanha e passa muita vergonha, que serve apenas pro teioso se sentir bem quando tudo está dando errado… afinal, ele tem o Mysterio pra aliviar a tensão (e o Shocker, claro). Pra falar bem a verdade, imaginei que veria uma produção com um vilão B e direcionado apenas lembrança do Homem De Ferro.

Mas como meu amor pelo amigo da vizinhança é gigante desde os 8 anos de idade, eu estava torcendo para que os produtores, roteiristas e toda a equipe envolvida conseguisse criar algo que pelo menos me divertisse um pouco. E pra minha surpresa eu me diverti e MUITO!

Obviamente a história tem elementos que você tem que abstrair e que ficam nítidos que são apenas para dar continuidade a história, mas nada disso atrapalha a diversão proporcionada e Mysterio (quem diria) se mostrou um personagem excepcional (muito, mas muito melhor do que nas HQs).

SPOILER ALERT: a partir daqui, o texto irá conter pequenos spoilers. Nada que vá estragar sua diversão, mas leia por sua conta e risco!

E por falar em HQs: o primeiro embate entre Homem-Aranha e Mysterio é uma das melhores cenas que já vi e me senti quase como lendo uma das revistinhas. A forma como conseguiram usar as ilusões foi uma das coisas mais fantásticas visualmente já feitas em filmes de super-heróis.

Aliás, outra sacada genial é a “equipe Mysterio”, que ao mesmo tempo é uma maneira “forçada” de amarrar com eventos de filmes anteriores, mas que explica brilhantemente o porque Mysterio funciona tão bem nas telas!

Você pode estar se perguntando: qual a relação com Vingadores? Bem, basicamente temos uma resposta para como é a vida para as pessoas que “desapareceram” por 5 anos e, o que considero a maior questão e faz uma conexão direta com o que temos vivido no mundo “real”, como as pessoas acreditam no que “querem” acreditar ou no que enxergam, sem buscar por informações. Aliás, esse é basicamente o plot do filme.

Cada vez mais gosto de Tom Holland como o novo Peter Parker (mas confesso que não vejo a hora dele se tornar logo o fotógrafo oficial do Homem-Aranha), e de Zendaya como MJ. De fato, é muito ver como os personagens “secundários” tem um grande desempenho neste filme: MJ não é somente a mocinha indefesa, Happy volta a ter sua importância dentro do universo (como era lá em Homem de Ferro 1) e Maria Hill (finalmente!).

Continuo achando que os 2 primeiros filmes de Sam Raimi ainda são as melhores adaptações do personagem, mas Longe de Casa é o mais divertido desde que vimos as lutas épicas contra Dr. Octopus.

E as cenas pós-créditos? Bom, existem 2. Uma é pra aquecer os corações dos fãs (dos filmes do Sam Raimi, principalmente) e a segunda é um tanto quanto… desnecessária ou necessária demais? Tudo vai depender do que irão trabalhar com o que foi mostrado.

Nerd: Carlos AVE César

EXAGERADO! Jogado aos seu pés, eu sou MESMO EXAGERADO! Filho único, egoísta, mimado e mal-humorado. Produtor de Eventos, Engenheiro de QA e butequeiro! Buscando CONHECIMENTO, com cachorro-quente e guaraná. Também sou a personificação da Vingança! Twitter: @ONovoNerd Facebook: http://www.facebook.com/carloscesarcarvalho

Share This Post On