Doom Patrol é a série que você nem sabia que precisava ver, até ver!

Além de ser algo que mal dá pra ser explicado!

O ser humano sempre tem certa tendência a torcer pelos azarões, né? Este é um dos poucos casos que eu me encaixo na tendência e, além disso, tenho preferência por pessoas loucas. É isso que você leu mesmo, a loucura me atrai. Se você junta então um grupo inteiro de azarões e adiciona loucura nisso, é quase certo que vai levar meu coração. Foi desta maneira que Doom Patrol prendeu minha atenção.

Há alguns meses, muitos criadores de conteúdo já falaram sobre a série, e todos foram unânimes: é uma das melhores producões de 2019, mas só agora está chegando aqui no Brasil pela Cinemax. Eu resolvi esperar (e nem precisou de campanha pra isso hein?), já que tinha muitas outras coisas pra analisar antes e acredito que a grande maioria do público tupiniquim também não estava na febre de ver o programa naquela época.

A HBO fez uma cabine de imprensa pra promover a estreia de Doom Patrol no dia 19 às 21h no canal Cinemax e fiquei extremamente feliz com o que vi no episódio 1. Tudo o que eu havia lido e conversado com companheiros da área era realmente verdade, e Doom Patrol é algo que mal dá pra ser explicado! É o tipo de coisa que você nem sabia que precisava ver, até ver.

A apresentação dos personagens é contada de forma muito criativa, fazendo que o expectador crie laços com cada um desde o princípio e sem necessidade de focar em um por episódio, como é feito na maioria das séries. Mesmo que mais a frente tenhamos flashbacks para dar mais detalhes de cada um, o que é mostrado no piloto já é o suficiente para entender as motivações do Chefe, Homem-Robô, Homem-Negativo, Crazy Jane, Mulher-Elástico, e Sr. Ninguém.

Os destaques vão para Sr. Ninguém e Homem-Robô. O primeiro por narrar a história de forma sensacional e fazer uma quebra de quarta parede muito engraçada e sutil, e o Homem-Robô por comprovar o grande talento de Brendan Fraser, que consegue realmente emocionar apenas com sua voz, nos fazendo pensar como é possível alguém que não sente mais nada possa, ao mesmo tempo, sentir muito mais do que nós mesmos?

Esse sentimento começa com o Homem-Robô, mas permeia todo o subtexto e se espalha pelos outros personagens. É incrível como algo que parece ser tão irreal represente tão bem a realidade interna de cada um de nós. É uma série tão maluca, com situações impossíveis e improváveis, com humor sarcástico, que funciona como um tapa na cara, o qual, estranhamente, você anseia por tomar mais.

É uma produção bizarra, inverossímil e maluca, mas é muito, muito, muito boa! Você precisa assistir Doom Patrol.

Nerd: Carlos AVE César

EXAGERADO! Jogado aos seu pés, eu sou MESMO EXAGERADO! Filho único, egoísta, mimado e mal-humorado. Produtor de Eventos, Growth Hacker, Especialista em Marketing de Conteúdo e butequeiro! Buscando CONHECIMENTO, com cachorro-quente e guaraná. Também sou a personificação da Vingança! Me siga nas redes sociais: Twitter - https://twitter.com/onovonerd Instagram - https://www.instagram.com/novonerd/ Facebook - http://www.facebook.com/carloscesarcarvalho

Share This Post On