BGS x CCXP: qual faz mais o seu gosto?

Com o crescimento exponencial da cultura pop/geek/nerd no Brasil, o mercado enxergou no público brasileiro o potencial, tanto para negócios quanto na paixão do povo pelo seu personagem ou franquia favoritos.

Toda cidade ou estado merecem um evento ou local para chamar de seu, pois além de movimentar o comércio, ainda acabam sendo um ponto de encontro para aqueles com os gostos em comum.

Mas embora ainda não tenha chegado o dia em que todos aqueles possam desfrutar de um evento, temos que ser realistas: São Paulo e Rio de Janeiro são as maiores cidades do país e onde há mais eventos. Fato.

E em São Paulo principalmente, onde em quase toda semana há um evento para chamar de seu e não necessariamente precisa ter muito recurso para aproveitar: há muitos locais baratos e até mesmo a periferia de São Paulo tem um evento para chamar de seu, a Perifacon, que foi um sucesso em 2019 no Capão Redondo e em 2020 promete vir com tudo na Cidade Tiradentes.

Mas não é exagero nenhum dizer que os dois maiores eventos de cultura pop em São Paulo sejam a BGS – Brasil Game Show e a CCXP – Comic Con Experience.

Até no final de 2014 a BGS reinava sozinha, quando a CCXP veio com tudo, com a mesma proposta da Comic Con San Diego ou Nova York, onde o mercado brasileiro abraçou de tal forma que o evento acabou virando o hábito de muitos na primeira semana de dezembro de cada ano.

Muitos adoram comparar esses dois eventos. Mas, afinal, qual é melhor: BGS ou CCXP?

A resposta certa é: depende do seu ponto de vista.

Se a sua paixão é mais para os games, obviamente a BGS vai ter mais a sua cara, já que o evento é focado só em videogames. Há espaço para outras tribos, através da venda e exposição de outros produtos como HQs, camisetas, além de cosplays de qualquer coisa que a imaginação permitir, mas o foco são os games, seja jogos de console, PC, celular, indies. O que importa é estar jogando.

Dá para entrar no evento sem conhecer jogos, consoles ou sistemas? Com certeza! Aliás, a BGS pode até ser uma porta de entrada para conhecer o maravilhoso mundo dos jogos.

Já a CCXP abrange tudo: há espaço para games sim, mas bem limitado, pois é o lugar para fãs de quadrinhos (vendas ou a Artist’s Alley), fãs de cinema (lançamentos, estandes), séries de TV ou até livros, além de a chance de conhecer aquele artista internacional que está vindo ao Brasil pela primeira vez.

E a lógica é a mesma: dá para entrar na CCXP sem conhecer os filmes ou séries? Com certeza! E o evento também pode ser a porta de entrada para descobrir o nerd escondido em cada um. Além dos cosplayers, que são praticamente o coração de cada Comic Con.

Mas tanto a BGS quanto a CCXP têm um comum as grandes filas, seja para jogar aquele jogo que ainda nem lançou ou para entrar no auditório. Até para ir ao banheiro pode ter fila, dependendo do dia ou horário.

Sim, é preciso gostar, amar o conteúdo dos dois eventos para apreciá-los de forma agradável, pois o valor pode ser alto para muitos, considerando o Brasil em crise e os dias de evento podem ser uma experiência tumultuada para quem é mais desavisado, pois é muito trânsito para quem for de carro (além do valor do estacionamento), a fila do ônibus na estação de metrô é quilométrica e a volta para casa é ainda mais tumultuada, porque todos saem praticamente na mesma hora.

E lá dentro do evento a pessoa fica muito tempo de pé, fica o dia todo dentro do local, pode se alimentar mal e como já dito, é fila para tudo.

Ambos são eventos excelentes, dá sim para aproveitá-los de forma íntegra e divertida e quem acaba ganhando somos nós, brasileiros.

É preciso sim, fazer um investimento e ainda é muito o que consumir dentro dos eventos. Milhares de pessoas, infelizmente, não podem ir na BGS e nem na CCXP, ou pior: boa parte dos brasileiros não conseguem ao menos acesso ao básico, como emprego ou moradia digna. Ainda há muito para ser feito.

Mas se mesmo na adversidade a pessoa consiga se encantar, se envolver ou se identificar pelo seu personagem ou franquia favoritos, teremos a esperança de um futuro melhor e uma amostra da paixão brasileira pelo mundo nerd. E que locais como CCXP, BGS, Campus Party, Perifacon ou até mesmo o evento aí na sua cidade se tornem pontos de encontro para uma paixão em comum.

Nerd: Raphael Brito

Share This Post On