A Mula: Clint Eastwood continua com vigor em seu novo trabalho

Clint Eastwood anunciou novamente que vai se aposentar da carreira de ator após mais de 6 décadas trabalhando como ator, diretor e produtor. Ele já havia dito que daria um tempo após o excelente Gran Torino, de 2008, mas voltou com mais dois longas, incluindo este último.

A Mula chega aos cinemas sem fazer muito barulho após a recepção fria nos EUA e o não-reconhecimento do filme nas premiações, mas pode ter a chance no mercado internacional.

Mula5O filme é baseado em uma história real e que gerou artigo do New York Times e conta a história de Earl Stone (Clint), um homem mais devoto ao trabalho do que à família. O filme começa em 2005 com Earl em seu trabalho como florista e no dia do casamento de sua filha, Iris (Alison Eastwood, filha de Clint na vida real), já deixando claro que se trata de um pai ausente e uma filha que cresceu com este trauma.

Depois tem um salto temporal de 12 anos e somos transportados para onde a história acontecerá de fato, em 2017, com o negócio das flores em baixa pelo crescimento do comércio online, Earl ainda mais ausente e apenas sua neta, Ginny (Taissa Farmiga, sempre ótima!) é a única que ainda acredita nele.

Mas aí descobrimos o verdadeiro trabalho dele: usa sua caminhonete para carregar mercadorias para criminosos, levando do ponto A ao B, faturando muito e tendo o respeito de seus “colegas”, sendo a “Mula” dos criminosos, mas passando a maior parte do tempo na estrada do que com a família.Mula3

Apesar de ser baseado em uma história real, o filme se parece muito com uma obra autoral de Clint: é uma história sobre vida, mas principalmente sobre a família e que, apesar de o trabalho ser importante, é a família que sempre vem em primeiro lugar.

E aqui o Earl de Eastwood é uma mistura de seu personagem em Gran Torino e Menina de Ouro, como um senhor que vive das glórias do passado, mas que vê em outra figura mais nova uma razão de viver.

Mas engana-se quem acha que a criatividade do diretor/ator tenha se esgotado, muito pelo contrário: várias metáforas sobre as mudanças do mundo sob o ponto de vista de um senhor de 90 anos, como racismo e homofobia, sem contar a visão dele da nossa dependência do celular e das tecnologias.

Mula4E o filme ainda com um grande elenco respeitável: Bradley Cooper, um agente na cola de Earl e seu parceiro, Michael Peña, além do chefe deles, vivido por Laurence Fishburne.

Destaque também para a grande Dianne Wiest (grande atriz vencedora de 2 Oscar por Hannah e Suas Irmãs e Tiros na Broadway) como a esposa de Earl e Andy Garcia, o chefão do crime, que cada um tem o seu momento no filme.Mula2

A Mula é um daqueles filmes que dão orgulho aos cinéfilos, em ver um filme competente em todos os sentidos e de uma lenda em Hollywood como Clint Eastwood, que consegue ser humano, verdadeiro e realista ao mesmo tempo. E o resultado é um filme que merecia melhor sorte com seu público e com as premiações.

Mesmo não sendo o melhor filme de Clint (Menina de Ouro, Gran Torino e Os Imperdoáveis têm um saldo melhor), A Mula merece ser visto por todos para pensarmos em nossas ações, que também interferem na vida de quem nos rodeia.

E pensar e refletir são coisas que parecem tão distantes hoje em dia.

4 vidas

 

 

Nerd: Raphael Brito

Share This Post On