Preparar, apontar, fogo…ou não

O apocalipse zumbi se tornou realidade, e agora você só tem uma chance de sobreviver, agarrar a primeira coisa mais próxima para se defender, o que é? Uma pistola, um faca, ou um rolo de papel higiênico – se o caso for este último, por favor, termine de fazer suas coisas antes de terminar o texto. Brincadeiras à parte, as armas são figuras importantíssimas no mundos dos games – em alguns, até centrais – mas, em outros jogos, a dinâmica é um pouco diferente. De animais até objetos fálicos (sério), alguns desenvolvedores utilizam o máximo da sua criatividade para criar – ou reinventar – armas nas suas invenções.

Saints Row 

SR_dildo

O conhecido “GTA genérico” nasceu com esse intuito, mas com o passar dos anos ele criou sua própria identidade, e muito dela veio por conta das armas um tanto quanto, peculiares. Uma das mais conhecidas é o famoso dildo gigante roxo de SR the Third, os inimigos sofriam tanto danos físicos quanto psicológicos. Mas além deste poderoso objeto, os desenvolvedores foram além, prova disso é a “Shark-O-Matic” uma simples arma que tem como munição, iscas de peixe. Aí você pensa “nossa, mas só isso?”, ledo engano, jovem mancebo, após dispará-la, segundos depois, um tubarão surge do nada e abocanha o alvo, no melhor estilo “Sharkrnado”. Mas a “melhor” arma da série veio no quarto jogo da franquia, é a maravilhosa Dubstep Gun! E sim, é isso mesmo, a arma dispara batidas pesadas de dubstep, para fazer todos dançarem, inclusive os carros!

Worms

Como se minhocas batalhando num pedaço de terreno já não fosse estranho, os desenvolvedores de Worms foram além! Claro, existem coisas mais reais como taco de baseball, pistolas, metralhadoras entre essas coisas, mas um jogo assim não poderia parar por aí. Coisas como ovelhas, bananas e até o shoryuken estão presentes, mas a arma mais icônica da série é a “Granada Santa”, a bomba além de ser muito forte é memorável porque antes de detonar, um “aleluia” em coro é ouvido, sinal que você vai se dar mal, muito mal.

 

Dead Risingdead_rising_armas

Outra série de jogos que traz o absurdo em seu DNA. Dead Rising  leva  – e muito – a sério a ideia de pegar o que tiver ao alcance para se defender das hordas de zumbis. O jogo trabalha com a dinâmica de juntar armas e objetos do cenário, assim, construindo máquinas de destruição como, marretas com granadas nas pontas, bastão com serras elétricas, cadeira de rodas com fuzis, entre outros. Faz sentido, claro que não, mas o legal é montar seu Frankstein das armas e performar a carnificina!

 

Bayonetta

Todos nós nos importamos com nossos vossos cabelos, mas nesse jogo em questão, as coisas são levados à outro patamar. A personagem principal – que tem como nome o título do game – se utiliza de um arsenal enorme de armas para dar cabo dos seus inimigos, mas sua principal fonte de dano, são suas madeixas! Elas batem e empalam – no melhor estilo Sindel do Mortal Kombat – mas além de tudo isso, a cabelo da moça é capaz de sumonar demônios, isso mesmo, e não são piolhos!  Além disso tudo, ainda veste a moça, só falta fazer café!

Red Faction: Armageddon

Quem não gosta de unicórnios, não é mesmo? Esses seres fofinhos caíram nas graças das pessoas, exatamente, pela sua fofura. Mas se você guardou um pouco de rancor da Uni – lembram, caverna do dragão? – você pode saciar um pouco da sua vingança neste jogo. “Mr Toots” é uma das armas desbloqueáveis no jogo, ele dispara raios de magias e maravilhas pelo seu ânus, lindo não é mesmo?

Nerd: Leandro

Padawan de jornalista, 25 primaveras e acredita que todas as Tekpix são na verdade Decepticons à espera de uma ordem da Skynet para acabar conosco!

Share This Post On