Nerd Review | AHS Asylum

Welcome to the Asylum… (Acho que já ouvi isso antes).

asylum_featured

É com essa frase que começamos o nosso programa de hoje. (Tá bem, isso está repetitivo. Vou mudar o discurso.)

Vou alimentar a curiosidade de vocês com a mistura de temas dessa temporada, que vai conseguir adaptar em um cenário de 1964 especialmente para você, fã das bizarrias já apresentadas e discutidas aqui com o Dylan McDermont, um hospício, um médico nazista, uma jornalista homossexual, Jessica Lauge, uma freira endiabrada (isso não é sessão da tarde), personagens que não sabemos se são realmente loucos ou se falam a verdade (que incluem uma ninfomaníaca e um possível assassino serial), alienígenas, psicopatas e zombies.

Tendo isso em mente, busquei uma forma de entrevistar um dos personagens, e consegui falar com LANA BANANA!

Lana (Sarah Paulson) é a repórter, que levou acima de tudo a sua curiosidade e aspiração de um grande furo, invadindo a instituição para recuperação mental Briarcliff e acabou ficando presa lá devido ao seu comportamento desapropriado (na época, ser gay era ser doente mental, claro). 

Casimiro: O que podemos dizer do enredo, Lana Banana?

Lana: Eu gostaria que não me chamasse dessa forma… porém devo dizer que é um pouco difícil dizer o que se esperar. Ao contrário da primeira temporada, ambientada em uma casa e centrada em uma família, estamos falando de um manicômio, cheio de loucos e gritos. Um dos pontos que mais gosto (ou odeio) é a ambientação toda do hospital. É realmente assustador… e todas aquelas salas de punição e tratamento…

Casimiro: Certo… vou evitar o apelido carinhoso. Agora me diga… o que achou das bizarrices? Temos muito como tivemos em Murder house?

Lana: WOW pergunta fácil. Sim. Se você juntar toda a história e perspectiva do Kit (Evan Peters) sobre a mulher ser sequestrada por alienígenas, e ele ser acusado de assassinato… junta tudo isso com tratamento de choque e um cientista nazista… digamos que o circo está armado.

Casimiro: Eu tinha esperanças de falar com a irmã Jude, inclusive vou dedicar uma música pra ela no final, mais como não estava acessível… fiquei com sua história mesmo. Me diga… o que mais a aterrorizou?

Lana: Com toda certeza a reviravolta toda em minha vida. Desde ser considerada uma doente mental aos tratamentos de reversão… O doutor Oliver… eu nem quero lembrar das coisas horríveis que vi naquele lugar. Mais devo dizer que os saltos no tempo, mostrando 2013 e o passado da irmã Jude… são simplesmente o fechamento perfeito para a série.

Casimiro: Devo concordar. É mais do que natural, se sentir assim tão devastada por causa de um erro cometido pela curiosidade…

Lana: …

Casimiro: E quanto ao seu filho?

Lana: Eu não tenho um filho… aquilo que nasceu de mim, não é meu.

Casimiro: Acalme-se Lana… não perguntei por mal… ei… solte isso… não…

[A entrevista foi encerrada, devido a problemas técnicos.]

Se você quer ouvir a música dedicada a irmã Jude, clique aqui.

Esse texto é ficticio e de propósito humorístico para expressar as opiniões desse nerd ácido. Nos vemos em breve! :)

Nerd: Casimiro

Freelancer de Anti-Herói. Apaixonado por Mangás e HQ's e Rato de Livros. Vive a vida de seus personagens mais do que a própria. Aspirante a redator, Publicitário, Mídia e entendedor do Universo Marvel. Sonha em ter um lobo gigante.

Share This Post On