Love encerra de forma eficiente e irresistível

Há uma lista de boas séries que não renderam o esperado e terminaram antes da hora como Roma da HBO, The Get Down, Marco Polo ou Bloodline da Netflix.

Love4Mais uma série que entra nesta lista é Love, também original Netflix, uma produção maravilhosa mas que, infelizmente, não deu a audiência esperada.

Love está encerrando em sua 3ª temporada, e pode ser vista completa no serviço de streaming, muito recomendada pois é bacana, divertida, apaixonante, agridoce e good vibe.

Mickey e Gus já estão consolidados como um casal, a temporada mostra sua rotina de quase casados, o sexo está mais forte ainda, suas carreiras seguem promissoras, ambos com seus devidos projetos.

Mickey está na emissora de rádio tendo que lidar com o autor de livros já veterano e arrogante, dr. Gregg, que acha as mudanças que ocorreram no mundo, segundo ele, ferem a sua masculinidade e que ele não se sente representado.

Love3

Gus continua com seus problemas no canal de TV, tendo que lidar com a impaciência de sua chefe e com os dilemas de Arya, uma atriz jovem, vinda de uma família de alta renda, que sofre todas as pressões da adolescência, enquanto ele mesmo está pressionado.

As conversas entre os dois, com diferenças de pontos de vista, sobretudo no que diz à oportunidades são absolutamente deliciosas.

Tudo isso é fruto do roteiro esperto de Judd Apatow, que também é criador da série e responsável por comédias para o cinema como Virgem aos 40 Anos, Ligeiramente Grávidos e Superbad.

Love2Ele sabe fazer aquele humor adulto, sagaz, mas ao mesmo tempo, doce, sensível e humano. E o envolvimento emocional é imediato: é impossível não se apaixonar por Gillian Jacobs e Paul Rust nos papéis principais. O público se encanta não por serem bonzinhos, mas por serem verdadeiros: eles são apaixonados, amigos que todos queriam para si.

E não são apenas eles, essa temporada deu mais espaço para vermos a relação dos amigos do casal: Bertie e Randy e agora o jogo inverteu, os dois é que vivem com problemas no relacionamento e, assim como o casal principal, também são mais humanos do que muitos da vida real.

Embora a crítica tenha ovacionado a série, foi uma decisão mercadológica terminar no terceiro ano, porque cabia mais uma temporada. E embora esse final não seja exatamente ruim, ficou com um gosto de incompleto: o último episódio é mais normal e não tem cara de series finale.

Uma pena se despedir desses personagens tão apaixonantes, espero ver mais desses atores e do criador da série. Agora que a série já finalizou, dá para maratonar sabendo ela teve um final, é de fácil acesso, original da Netflix, com 30 minutos cada episódio.Love1

Se despedir de uma série assim é como se despedir dos amigos: fica um gosto amargo, mas a vida sempre tem que seguir.

 

Nerd: Raphael Brito

Share This Post On