Jurassic Park ainda é um clássico empolgante e inesquecível

Jurassic Park ainda permanece um clássico, emblemático, importante e amado por muitos, sobretudo agora com a estreia do Jurassic World – Reino Ameaçado e as comemorações dos 25 anos do filme.
Park4

A obra se tornou um fenômeno pop e ali na metade de 1993 o assunto era só Jurassic Park: os dinossauros eram a pauta das rodas de conversa, mesa de bar, programas de TV, e estavam presentes até em chocolates. A pré-história estava de volta ao mundo.

Na ocasião, Steven Spielberg já era o diretor mais consagrado de Hollywood,sobretudo por suas obras dos anos 80, como ET, Indiana Jones e as produções de Os Goonies e De Volta para o Futuro. Aliás, o Spielberg não participou da pós-produção porque ele estava trabalhando em A Lista de Schindler. Quem participou foi seu sempre parceiro, George Lucas, aliás, após o George ver os resultados do filme ele viu que tinha tecnologia para fazer a nova trilogia de Star Wars.

Na história, o Parque dos Dinossauros é habitado por dinossauros clonados através do DNA de insetos guardados no local. Mas tudo dá errado quando o sistema do parque é desligado por um programador, o que deixa a todos numa desesperada corrida entre um gigante T-Rex e Velociraptors. O filme é baseado no livro do Michael Crichton, que também escreveu o roteiro, e conta com um grande elenco: Sam Neill, Jeff Goldblum, Laura Dern, Richard Altenborough, que faz o dono do parque e tem uma dualidade muito bacana com Jeff Goldblum. O primeiro é um personagem otimista enquanto o segundo é pessimista, características que são possíveis de notar até mesmo através de seus figurinos, já que Richard usa branco durante todo filme e, Jeff, preto.

Park3Mas, como um legítimo filme de Spielberg, as crianças têm um fator determinante aqui, e sem elas não aconteceria duas das cenas mais celebradas, que é aparição do T-Rex ali no meio da estrada e a claustrofóbica cena da cozinha, do terceiro ato.

Park2São duas das melhores cenas de ação da história e são incrivelmente bem construídas: na cena da estrada, tudo começa quando dois copos com água começam a tremer e tanto os atores quanto o público sabem que algo está errado, ouvem alguns sons até que são surpreendidos por um T-Rex.

Uma curiosidade é que o pânico das crianças ali é real, já que havia dado problema no dinossauro controlado por animatronic. E a cena da cozinha é mais assustadora do que muitos filmes de terror, deixando a plateia e as crianças ali encurraladas e quase sem ar.

Ficou tudo tão crível que nem o público percebeu o uso de efeitos práticos, como o uso de pessoas dentro dos Velociraptors.

E além dos maravilhosos Efeitos Especiais, do legado, da direção acertada e do nome de Steven Spielberg, outro grande personagem aqui é a clássica trilha sonora de John Williams, que nos faz viajar por um mundo de milhões de anos em tela, sobretudo na primeira cena em que vemos os dinossauros, que é um momento de descoberta, tanto para os personagens quanto para o público.Park1 A trilha também é muito marcante em seu maravilhoso e clássico desfecho, onde os Velociraptors estão para atacar os humanos, mas o T-Rex está lá para salvar o dia. Embalados pela trilha do mestre John, o momento chega a ser apoteótico e o cinema foi abaixo.

Jurassic Park foi, entre 1993 e 97, a maior bilheteria da história até ser ultrapassado por Titanic: custou 63 milhões e faturou 1 bilhão nas bilheterias mundiais.
Park5Também foi bem nas premiações, vencendo 3 Oscar: Melhor Som (ou Edição de Som, atualmente), Efeitos Sonoros (ou Mixagem de Som) e a grande barbada que foi a categoria de Efeitos Especiais.E ainda foi ovacionado pela crítica: no Rotten Tomatoes tem 92%.

Jurassic Park é um clássico incontestável e não é à toa que ele permanece sendo referenciado e lembrado pela parte técnica e de roteiro, mesmo após 25 anos de seu lançamento, e por ainda acompanharmos vários blockbusters nos anos seguintes.

De quantos filmes podemos dizer o mesmo?

5 Vidas

 

 

Nerd: Raphael Brito

Share This Post On