Hogwarts Mystery: grátis para baixar, mas definitivamente pay-to-win

Você aí que é fã de Harry Potter, eu aposto que você ficou mega hypado quando saiu o trailer do novo jogo de Harry Potter: Hogwarts Mistery, não ficou? E depois você ficou decepcionado também, né? Fala a verdade.

No jogo, que foi lançado em abril, podemos ir às aulas de Feitiços, Transfiguração e ter Aulas de Vôo, além da a opção de duelar depois de avançar um pouco. Tudo isso tendo como plano de fundo uma história misteriosa que envolve seu irmão desaparecido e uma tal de Cripta Maldita que ameaça Hogwarts.

Quando saiu o trailer do jogo, eu não sabia o que fazer comigo mesma. Fiquei empolgada no nível de quando saía trailer novo do filme. Os fãs viram aquele trailer maravilhoso, e tivemos esperança de finalmente ter em mãos um jogo no qual poderíamos explorar Hogwarts de fato. Mas o que eu encontrei na verdade me deixou bem decepcionada :(

Pouco tempo depois do lançamento, eu já estava ouvindo uma certa repercussão negativa, principalmente por conta da mecânica, que funciona assim: você deve clicar em objetos destacados com delineado azul (cada clique é pago com um ponto de energia), e eventualmente fazer alguns riscos na tela quando vai lançar feitiços.

Claro que uma hora sua energia vai acabar, aí você terá que esperar seus pontos de energia serem restituídos (um ponto de energia a cada quatro minutos), ou vai ter que comprar mais energia com dinheiro real. E é essa parte que as pessoas criticam, alegando que o jogo é focado apenas nas micro transações que serão feitas por quem não tem paciência de esperar. Tem até uma cena específica bem bizarra onde seu personagem está sendo estrangulado por um Visgo do Diabo e suas energias acabam, ou seja, você tem que deixar o jogo e esperar casualmente enquanto seu avatar fica preso naquela situação. Isso simboliza de maneira muito bizarra como o mercado de micro transações é predatório.

O problema está no fato de o jogo estar inteira e completamente focado em conseguir dinheiro. Mas por que eu chego a essa conclusão? Porque ele não te oferece nenhum desafio de verdade.

Eu entendo que não é possível ter um jogo gigantesco no mobile por conta da memória dos smartphones, mas nada me convence de que a produtora do game não poderia ter feito algo melhor.

O jogo em si oferece 3 “desafios” de fato: 1. perguntas sobre algumas coisas durante a aula, 2. o sistema de ‘Foco’ onde é necessário clicar na tela no momento certo para ter sucesso e 3. os duelos – que na verdade é uma versão de pedra papel e tesoura que depende de sorte e não de habilidade. Sendo que nos 3 desafios, você não ganha nada relevante se acertar e não perde nada se não tiver sucesso. De resto é, literalmente, só ficar clicando na tela até seus pontos de energia acabarem. E a história que serve de pano de fundo não é instigante o suficiente para manter o jogador interessado em continuar o jogo (é basicamente a repetição de tudo que acontece em Harry Potter)

O que eu esperava com esse jogo era, no mínimo, ter algum desafio dentro de cada fase, algo parecido com as perguntas feitas pelos professores, mas que tivesse algum tipo de premiação caso eu obtivesse sucesso. Quanta coisa legal não daria pra fazer em uma aula de vôo, por exemplo? Talvez usar o sensor de movimento do celular para passar por dentro de aros e ganhar pontos, olha que legal!

É necessário entender que, quando estamos falando do mundo de Harry Potter, temos que falar sobre expectativas! Ainda mais agora que tem edições especiais saindo à torto e à direito, edições comemorativas, edições ilustradas, com novas capas, filmes de Animais Fantásticos, sempre deixando os fãs com as expectativas lá em cima.

Claro, nem tudo no jogo é ruim; os gráficos são invejáveis, as expressões dos personagens e a direção de arte do negócio ficaram excelentes. Mas Hogwarts Mystery peca muito em vários outros aspectos, deixando a impressão de um jogo preguiçoso, focado apenas nas micro transações e que não foi feito para os verdadeiros fãs de Harry Potter.

Mas ainda temos esperanças de que Harry Potter: Wizards Unite seja um jogo bem melhor, já que vai ser produzido pela Niantic Labs, mesma empresa que criou o famoso Pokémon Go. O jeito, por enquanto, é gerenciar nossas expectativas

Nerd: Beatriz Napoli

Devoradora de livros, publicitária apaixonada, tem dois pés esquerdos e furtividade 0 para assaltar a geladeira de madrugada. Se apaixona por personagens fictícios com muita facilidade, mas não tem dinheiro para pagar o psiquiatra que obviamente precisa.

Share This Post On