Do Digital para o Analógico!

 

Qual a sua última experiência com um jogo de tabuleiro?

Nem todo mundo é acostumado aos jogos de tabuleiro mais novos e com mecânicas diferentes e, boa parte das pessoas imaginam que rolar dados para andar casas é o ápice da mecânica dos jogos de mesa. Por isso, quando alguém vê uma notícia sobre “Jogo de Videogame X vai ganhar jogo de tabuleiro” gera-se um estranhamento imediato e totalmente compreensível, geralmente acompanhado da pergunta: “Vai ser tipo WAR?

A lista de jogos digitais que ganhou uma versão analógica não é pequena, só dos últimos anos temos Bloodborne, Fallout, XCOM, DOOM, Dark Souls, The Witcher tem um jogo de tabuleiro próprio, a série Assassins Creed também, isso sem falar nos inúmeros jogos da franquia Star Wars que foram remodelados como Star Wars – X-Wing e Star Wars – Rebellion. Quem jogou as versões digitais encontrou nas versões analógicas muitas mecânicas conhecidas.

Então por que motivo ainda temos tantas inseguranças quando vemos uma notícia sobre um jogo ganhando um outro formato? Eu assumo que isso se deve ao fato que estamos mal acostumados por Bancos Imobiliários temáticos e jogos já conhecidos com uma outra carinha, que não faz nenhum sentido. (Me desculpe, mas Monopoly de Star Wars é ridículo, se eu quero o Luke vencendo o Vader não espero ver isso no mercado imobiliário)

SW1

 

Talvez esse jogo seja melhor que o filme?

O que um jogador de Fallout espera? Talvez um jogo que traga todas as nuances do mundo inóspito da Wasteland, ele não vai conseguir isso jogando um Jogo da Vida, mas ele vai ver muito do que espera jogando o jogo da Fantasy Flight. Fallout traz para a mesa as difíceis decisões, a busca por melhorar seus status, e a dificuldade de enfrentar o desconhecido em um deserto pós holocausto nuclear.

O jogador de XCOM pode esperar ficar tenso com cada escolha e decisão que terá que enfrentar. Mandar ou não seus soldados para a missão? Haverá créditos para pagar os custos?souls

Quem joga Dark Souls e espera morrer muito em um jogo de tabuleiro abre um largo sorriso quando, ao abrir a caixa, o que está lá dentro é um papel preto com os dizeres “You Died”.

Pode não parecer, mas essa experiência pode sim existir fora do mundo digital, e ouso dizer que algumas experiências só são possíveis jogando um jogo de mesa. Estar com outras pessoas, interagindo com o mesmo mundo, tomando decisões em conjunto ou enfrentando uns aos outros, coloca os jogadores em um outro estágio de interação, claro que é bom quando todo mundo está se divertindo…

Se você não conhece, te convido a jogar algum jogo de tabuleiro dos novos, dos mais imersivos. A partir da experiência, você pode entender como Fallout ou The Witcher, jogos conhecidos por suas ricas histórias, podem ter jogos muito interessantes de maneiras diferentes, fora do mundo digital.

Você pode esperar morrer muito jogando o card-game de Bloodborne, ou ficar extremamente tenso com o timer de XCOM limitando suas jogadas. Mas com certeza cada experiência vai ser única e muito diferente da anterior.

É claro que não é exclusividade do mundo dos jogos de videogame terem seus universos adaptados para os jogos de mesa. Esse fenômeno da transmídia já aconteceu com séries, filmes e livros, que resultaram, muitas vezes, em produtos de muita qualidade, mas isso fica para outro momento, em outro texto!

Até a próxima!

Nerd: Matheus Farina

Tem 23 anos, Boa parte passou jogando e muito pouco em seus próprios consoles. Acredita que é o melhor perdedor que pode haver, mesmo sendo extremamente competitivo. Hoje, ganha a vida com jogos e recentemente fez a primeira tatuagem relacionada a um jogo, está se achando o James Dean dos nerds.

Share This Post On