Doces Dias Ácidos: Um Romance Sobre A Vida Real

Sinopse:Uma jovem arquiteta constrói projetos e plantas dos sonhos de outras pessoas, enquanto não consegue construir seu próprio caminho. Aos vinte e poucos anos, se vê frustrada, morando numa quitinete, enfrentando dilemas existenciais e sem planos concretos para o futuro. Após um grave acidente encontra forças para traçar novas linhas de sua história. Conflitos internos. A convivência com o luto. O recomeço. A conquista da independência. Tudo passa como um filme em sua cabeça enquanto embarca na viagem que a enviará de volta para sua cidade natal. Taty Ferreira, autora do Manual da mulher bem resolvida, nos leva nesta jornada de uma personagem sem nome, em busca de si, que poderíamos facilmente reconhecer numa avenida, no ônibus ou em frente ao espelho.  

Lembram da Taty Ferreira, do Acidez Feminina? Pois ela escreve livros, e dos bons! Doces Dias Ácidos apareceu num momento muito oportuno da minha vida, como se fosse um guia para entender meus sentimentos, os das pessoas ao meu redor, e me mostrar os próximos passos que, bizarramente, seguiram grandes coincidências em minha vida, e acabou sendo como um guia, um manual para aprender a reunir forças, aprender a buscar meu caminho para o amadurecimento – e até mesmo aprender coisas sobre as etapas de viagens, haha, que usarei para futuras experiências!

Mas essa é a intenção da escrita de Taty: a autora quer que você, que está perdida em alguma fase da vida, se encontre na personagem, veja que é possível seguir em frente, ter opções e oportunidades na vida, quando tudo parece empacado. O livro acaba sendo aquela luzinha no fim do túnel mostrando que ainda há muito por vir, que há esperança, que só precisamos criar a coragem para dar os primeiros passos. Porém, a história de nossa protagonista – assim como nossas próprias histórias – nos mostra que nem tudo é um conto de fadas perfeito. A personagem passa por situações muito complicadas no começo, e decide encontrar seu novo caminho viajando… Mas, ao contrário do que vemos em muitos outros livros e filmes, a viagem não é uma cura mágica para todas as mágoas: pelo contrário, como o próprio nome do livro sugere, a trajetória da protagonista é cheia de altos e baixos, do começo ao fim, afirmando uma das frases que mais gosto na vida, do Caio Fernando Abreu: A vida é feita de escolhas. Quando você dá um passo à frente, inevitavelmente alguma coisa fica para trás.

“…pleno e amável. Embora eu ainda não soubesse, esses dois adjetivos descreveriam exatamente como seriam meus dias dali em diante”.

O caminho dela – que não tem nome, pois ela sou eu, é você, é aquela amiga, é alguém que conhecemos e por quem torcemos -, cheio de escolhas, só nos reforça que tudo na vida tem seu gosto doce e seu gosto amargo – há sempre dois lados da moeda, e tudo tem consequências. Diante de suas perdas, de ter alguns sonhos quebrados e a oportunidade de realizar outros novos sonhos, diante das dificuldades de entender e lidar com as pessoas e sentimentos em sua vida, a protagonista cresce – conhece novos lugares, novas  pessoas, novas situações, novos amores… Nem todas essas coisas são boas, mas a ajudam a crescer e a conhecer a pessoa mais importante de sua vida: ela mesma.

Doces Dias Ácidos vai além de nos proporcionar um romance sobre superação e felicidade: Taty nos mostra com sua escrita que pode ser nosso diário, ou o relato de uma amiga querida, a importância das escolhas. Escolher viver, escolher seguir em frente, escolher acreditar mesmo que pareça impossível. Escolher coisas novas, escolher tentar, escolher seu próprio destino. Escolher não ter medo do diferente, de se tornar alguém diferente. De aprender a ser alguém melhor. De nos deixar transformar no melhor que podemos ser, e não temer as incertezas. Não há solução que dure para sempre, as incertezas e os desafios sempre farão parte de nossas vidas. E é isso que a torna tão emocionante, e o que faz valer a pena viver!

“Vi (…) o quanto minha sina é traçada mais pelas minhas escolhas que por um destino já determinado”.

Obrigada, Taty, por nos entender. Nos escrever. Nos dar um abraço em forma de páginas, um conselho com palavras que escrevem uma história bela e, acima de tudo, real. É sério, sem exageros: tá se sentindo desmotivada, frustrada, perdida? Dê uma chance ao doce e ao amargo. Dê uma chance a Doces Dias Ácidos. ;)

nota-critico

DOCES DIAS ÁCIDOS

AUTORA Taty Ferreira

EDITORA Planeta de Livros – Selo Outro Planeta

ANO 2017

PREÇO de 22 a 35 reais

Nerd: Evelyn Trippo

I just have a lot of feelings, e urgência em expressá-los. Aspirante à escritora e estudante deslumbrada de Letras - Tradução. Pára-raio de nerds, exploradora de prateleiras em sebos e uma orgulhosa crazy pet lady.

Share This Post On