Dica de anime 17 | No Game No Life

E finalmente chegamos à Dica de anime 17! Eeee! Ok, 17 não é exatamente um número cabalístico, mas hoje é o meu aniversário (presentes! presentes!), então é sim uma coluna especial!

Falarei de um anime muito bacana e com uma curiosidade bem diferente. No Game No Life é baseado na popular série de light novels (ok, vocês já devem estar cheios de animes baseados em light novels, mas é a tendência dos últimos anos) escrita por Yuu Kamiya. Kamiya na verdade se chama Thiago Furukawa Lucas e nasceu em Uberlândia/MG, sendo um caso bem raro de autor estrangeiro a fazer sucesso no Japão. No Game No Life está sendo adaptado pra mangá pela esposa de Kamiya, Mashiro Hiiragi e ganhou uma temporada de 12 episódios em anime em 2014, que é o foco da coluna de hoje.

 

No-game-no-life_post

 

O anime fez um belo sucesso no Japão, seguindo a popularidade das light novels e esse mês apareceu na lista dos 10 animes que os fãs japoneses mais esperam continuação (apareceu em 2º lugar na lista com votos masculinos e em 8º lugar na lista com votos femininos, mostrando que conquistou os dois públicos). Todo esse sucesso é bem merecido, o anime tem um plot muito original, personagens cativantes e uma bela animação, com o único ponto fraco sendo o exagero de fan service, que é mais um problema da indústria toda que exatamente do anime em si.

No Game No Life conta a história da dupla de irmãos Sora e Shiro, que juntos formam uma dupla de jogadores online imbatível (literalmente, eles nunca foram derrotados), que é conhecida como Kuhaku (“espaço em branco”, porque eles nunca preenchem o campo do nome quando vão jogar). Sora tem 18 anos, é desempregado, encostado, seriamente tarado e virgem (o anime deixa isso claro logo na apresentação da personagem); Shiro tem 11 anos, nunca vai à escola e é completamente grudada no irmão mais velho. A dinâmica entre os dois é particularmente bem interessante, pois são apresentados como uma família extremamente unida (Shiro chega a entrar em crise sem a presença de Sora) e que só pensa em jogos. Eles têm capacidades que se complementam, fazendo-os imbatíveis quando jogam juntos (apenas um já venceu o outro). Shiro é especialista em jogos matemáticos e que tenham como princípios padrões a serem decorados, como xadrez ou FPS, por exemplo. Sora é especialista em jogos de estratégia, que precisem mais do componente humano pra serem jogados – e sempre que precisam trapacear, Sora é o homem para o trabalho.

Um dia eles são convidados por um deus – Tet – para se mudarem pra um mundo onde tudo é decidido por meio de jogos e aceitam. Este mundo é composto por 16 raças, cada uma com suas particularidades – sendo que os humanos são os mais fracos e estão quase sendo extintos – e qualquer violência física é proibida por Tet (que é o deus supremo de lá). Os conflitos bélicos foram então substituídos por jogos que precisam seguir uma lista de 10 regras:

 

1. Todo assassinato, guerra e roubo é proibido neste mundo.

2. Todos os conflitos no mundo serão resolvidos por meio de jogos.

3. Nos jogos, cada jogador deverá apostar algo que eles concordam ser de valor igual.

4. Desde que não vá contra o número três, tudo pode ser apostado e qualquer jogo pode ser jogado.

5. Quem for desafiado tem o direito de decidir as regras do jogo.

6. Quaisquer apostas feitas de acordo com as promessas deverão ser mantidas.

7. Conflitos entre grupos serão conduzidos por um representantes designados e de autoridade absoluta.

8. Se for pego roubando em algum jogo, significará uma derrota instantânea.

9. Em nome de Deus, nenhuma das regras anteriores poderão ser alteradas.

10. Vamos todos nos divertir e jogar juntos!

 

Como jogadores natos que são Sora e Shiro resolvem que irão dominar o mundo todo. Não falarei muito mais sobre o enredo pra não dar spoilers desnecessários, mas a dinâmica da história é muito legal e os jogos jogados são muito variados e bem planejados, tornando a ação no cenário muito divertida. Os personagens secundários também são bem legais e vão sendo desenvolvidos com o passar do tempo, mas não falarei sobre eles, descubram assistindo. :)

Como dito a temporada é curtinha – apenas 12 episódios – que com certeza terão continuidade, mesmo porque a história não chega nem perto de se concluir. No Game No Life está completo na Crunchyroll (pode assistir clicando aqui) e é aposta certeira, vão sem medo que com certeza adorarão!

 

Dicas já Publicadas

Conheça a Crunchyroll

Dica de Anime 01 – Baby Steps

Dica de Anime 02 – Hitsugi no Chaika

Dica de Anime 03 – Suki-tte ii na yo (say I love you)

Dica de Anime 04 – Akame ga KILL!

Dica de Anime 05 – Mahouka Koukou no Rettousei

Dica de Anime 06 – Fate/Zero

Dica de Anime 07 – Onegai Teacher

Dica de Anime 08 – Bugaku Shoujo

Dica de Anime 09 – Tonari no Kaibutsu-kun

Dica de Anime 10 – Chuunibyou Demo Koi ga Shitai!

Dica de Anime 11 – Sword Art Online (1ª temporada)

Dica de Anime 12 – Toaru Hikuushi e no Koiuta

Dica de Anime 13 – Trinity Seven

Dica de Anime 14 – Great Teacher Onizuka (GTO)

Dica de Anime 15 – Magi: The Labyrinth of Magic

Dica de Anime 16 – Strike the Blood

Nerd: Arthur Malaspina

Arthur Malaspina é professor de português, nerd irrecuperável e humorista ocasional. Também não consegue se manter longe de discussões, seja na vida real, seja na internet. Tem opinião formada sobre praticamente tudo no mundo... mas não se preocupem, fica mais legal com o tempo. Co-proprietário do blog Han Atirou Primeiro (hanatirouprimeiro.blogspot.com.br). Twitter: @arthurskywalker

Share This Post On