De Volta Para Casa – Um Conto de Fadas moderno!

Que tal uma comédia romântica com todos os ingredientes na medida certa?! Bons atores, boas piadas, uma boa pitada de romance e, pra finalizar, personagens cativantes e fortes! Esse é o delicioso e despretensioso De volta Para Casa, que conta com Reese Witherspoon no elenco, e com direção e roteiro de Hallie Meyers-Shyer, que se inspirou em pessoas que conheceu enquanto crescia para fazer a história acontecer.

Alice Kinney é filha de um famoso cineastra e de uma famosa atriz, mas o que a traz de volta para Los Angeles, Califórnia, para morar na casa que era de seu pai, não é o desejo de seguir o mesmo caminho que eles: prestes a completar 40 anos, ela acabou de se separar do marido, não está num momento muito bom da vida e precisa começar de novo.

Com duas filhas e recomeçando até mesmo sua carreira como decoradora, Alice está uma bagunça emocional. E o dia de seu aniversário só a deixa pior, fazendo-a lembrar de seu pai e de suas expectativas de vida. Mas ela não se deixa abalar e usa seus momentos de fraqueza como impulso para sair com suas amigas e comemorar a noite.

E então… Ela conhece Harry. E seu grupo.

Harry é um aspirante a cineastra de 27 anos que – com seu irmão Teddy, que é ator, e o roteirista deles, George – estão tentando fazer um filme. E eles estão quase lá, mas ainda há um caminho cheio de obstáculos para percorrer. Sem dinheiro e sem um lugar para ficar, precisam encontrar uma solução para o problema antes que tenham que sair de LA sem os sonhos realizados.

Harry – e Pico Alexander, o ator que o interpreta – é incrível. Toda vez que ele flerta com Alice, ele também flerta com você. Eu não o conhecia antes desse filme e, pelo que vi na internet depois de assistir, ele foi descoberto só agora. E já virou um galã! Não tem como não se apaixonar, com aquele leve toque que Harry Styles em seus sorrisos e galanteios.

Teddy (Nat Wolff) e George (Jon Rudnitsky) também são ótimos. O trio funciona m u i t o bem junto, e separado também. A escolha de atores para os papéis foi muito feliz, são personagens críveis, reais, engraçados e cada um tem sua história para contar e personalidade para mostrar. Até mesmo quando você acha que um deles vai ficar mais apagado que o outro, o personagem vem e muda todo o seu conceito sobre ele! Resumindo: SÃO UNS FOFOS! QUEM NÃO LEVARIA PRA CASA?!

Enfim. Alice os conhece, comemora seu aniversário com eles e as amigas, e as coisas saem um pouco do controle quando ela acorda, pronta para retornar à sua rotina, e todos ainda estão na sua casa. E, antes que possam sair, sua mãe chega com suas filhas, se apaixona pelos garotos e pelos sonhos deles – quem não, minha gente?! – e os convida para fica na casa de Alice, que não gosta nada da ideia…

E mais do que isso, seria spoiler! Mas você já deve imaginar que aí começa o grande embate sobre como uma mãe “solteira” e suas duas filhas podem conviver na mesma casa com três garotões estranhos. E vamos descobrindo como isso pode ou não funcionar, ao mesmo tempo que nos apegamos a (quase) todos os personagens que fazem parte da vida de Alice, da antiga e da nova.

Minha parte preferida, depois do trio e dos ótimos momentos de comédia, foi a força da personagem de Reese Witherspoon. Alice é uma mulher forte, decidida, independente. Parece até um clichê hoje em dia, mas sério, eu precisava de mais exemplos de mulheres como ela enquanto eu crescia. O modo dela de lidar com as coisas, as situações, as pessoas… Eu assistia e queria ser como Alice. Queria ter sua força, seu poder sobre si mesma. Acredito que personagens como ela e histórias como as que ela conta são de extrema importância para inspirar garotas e mulheres por aí.

A única coisa que se perde é a parte de “voltar para casa”… Essa questão fica rasa, já que a intenção verdadeira do filme é mostrar a virada na vida de Alice depois de acolher os três rapazes, e não fala muito sobre os sentimentos dela sobre retornar ao antigo lar. Acho que outro nome venderia muito melhor o filme.

De Volta Para Casa é um daqueles contos de fadas modernos, nos quais o tal final feliz é muito relativo. Gostei muito do tempo que passei conhecendo a história de Alice, mas não pude deixar de sair um pouquinho decepcionada, pois é um filme que merecia mais história, mais profundidade. Talvez funcionasse melhor como uma minissérie! FICA A DICA, NETFLIX!

O filme estreia nesta quinta-feira, dia 19 de outubro!

Nerd: Evelyn Trippo

I just have a lot of feelings, e urgência em expressá-los. Aspirante à escritora e estudante deslumbrada de Letras - Tradução. Pára-raio de nerds, exploradora de prateleiras em sebos e uma orgulhosa crazy pet lady.

Share This Post On