Clássicos nunca morrem – GTA IV

O tempo, ele realmente voa…

Já faze 10 anos desde o lançamento de GTA IV.

Essa semana eu me peguei fazendo algo que eu não faço com frequência: pegando um jogo que eu havia parado de jogar e finalmente fechando a história. Fiz isso com GTA V.

Uau, realmente, é um jogão… Mas GTA V saiu em 2013… 5 anos atrás… como pode um jogo fazer isso depois de tanto tempo?!

Então, resolvi que voltaria minhas atenções a procurar um jogo tão bom quanto para poder me divertir. Opções não faltam. Mas eu sentei no computador, abri a Steam e…

Caramba… EU NUNCA JOGUEI GTA IV!!!

WHAAAAAT?

Pois é, amigos.

Minha vida “vídeogamística” foi bem atribulada. Começou tardiamente, (tentativas dos meus pais de que eu não me tornasse um adepto, aparentemente. Sinto informar que falharam.)

Mas eu nunca havia jogado GTA IV antes. Tive oportunidades ao longo dos anos, mas meu interesse sempre foi baixo. Até cheguei a jogar os clássicos San Andreas e Vice City nas Lan Houses e nos videogames dos amigos mas nunca me interessei tanto assim.

Posso dizer sem medo que meu primeiro amor por GTA foi através de um jogo que não era GTA, e sim Red Dead Redemption (bom, isso é assunto para outro texto).

Voltando ao GTA IV, eu instalei o jogo que havia comprado e nunca instalado, bem como a sua expansão Stand Alone “Episodes of Liberty City”. Tudo certo. Jogo abrindo e Bam, lá se foram 10 horas sem parar de jogar. A todo momento eu fiquei me perguntando “MEU DEUS COMO EU NÃO JOGUEI ISSO ANTES!?!

essa foi a minha reação… e eu não to nem brincando

Se você voltar para 2008, o que foi lançado nesse ano? Devil May Cry 4, Battlefield: Bad Company, Left 4 Dead, Persona 4, Megaman 9 e talvez o jogo que pudesse ser mais comparado ao GTA, Saints Row 2 (aliás, como teve jogo com 4 no nome em 2008 hein!)

Se você comparar os jogos do ano ao GTA, entende o motivo desse jogo ser tão absurdo.

Todos eram bons, mas caramba que profundidade tem o jogo da Rockstar!

Liberty City está viva, as coisas acontecem. Se você deixar o protagonista parado olhando para o cenário você quase consegue ver o organismo fluido. O universo é riquíssimo, as possibilidades introduzidas pelo celular, todas as novidades que o Internet Café traziam, os arcos de história que estão profundos, caricatos como sempre, mas você ainda consegue ver humanidade nos personagens. Eu acho que o mundo gamer só viu novamente um universo tão rico em 2013 com GTA V.

Dito isso, devo dizer que eu gostei mais da atmosfera do jogo de 2008. Liberty City é mais suja, mais cinza, mais sóbria e, por isso mesmo, mais real. Eu consegui realmente acreditar nessa cidade, no que a Los Santos me pareceu caricata demais. Longe do exagero que a franquia Saints Row traz, mas ainda assim, GTA V tem uma representação muito mais caricata do que é a própria franquia. Enquanto GTA IV tem uma visão mais puxada para o realismo.

Aliás, isso foi muito criticado na época. Eu lembro de ler como a direção de GTA IV era ruim, por ser “real demais” e como o sistema de cobertura também era péssimo. Bom, já faz 10 anos, e devo dizer que muita coisa pior foi lançada depois de GTA IV hein (sim, estou olhando pra você Watch Dogs).

“A direção tá muito complicada!”

Foram 5 anos de GTA IV para o GTA V que revolucionou novamente os jogos de mundo aberto – Sandbox. Esse ano teremos Red Dead Redemption 2, provavelmente mais voltado para a história e que tem potencial também para revolucionar os jogos. A Rockstar tem a capacidade e sabemos que tem o Know-How para isso.

Resta esperar o que veremos em GTA VI e quando será já que faz 5 anos do lançamento do último jogo da franquia (estou contado do primeiro lançamento, não da versão para Last Gen que saiu em 2014).

É uma frase conhecida por diversos jogadores:

Um jogo bom que demora, será sempre um jogo bom. Um jogo ruim que sai apressado será sempre um jogo ruim.

GTA IV é uma prova de que essa frase está certa.

 

Nerd: Matheus Farina

Após 24 verões, descobriu que não há pote de ouro no fim do arco íris... Como sua mãe sempre disse que ele escrevia bem, decidiu que queria fazer isso para viver, mas como a empresa de luz não aceita cartas como pagamento, está um pouco difícil.

Share This Post On